Fluence agora turbinado

Versão esportiva GT entrega 180 cv de potência e faz 0-100 km/h em 8 segundos

Edimarcio Augusto Monteiro

A Renault apresenta duas novidades para o mercado brasileiro, o Fluence GT, o primeiro carro turbo da marca no País, e o novo Clio. O GT é a versão mais apimentada do sedã da montadora francesa e leva a assinatura da Renault Sport, divisão responsável pela preparação de seus modelos esportivos na Europa. Ele traz sob o capô um motor 2.0 16V turboalimentado, que entrega 180 cavalos de potência a 5.500 rpm, mas 80% da força já estão disponíveis a partir de 1.500 rpm, de acordo com a montadora. O torque de 30,6 kgfm já está disponível a partir de 2.250 rotações.

Isso reflete no desempenho do carro, que leva 8 segundos para ir da inércia aos 100 km/h e chega aos 220 km/h de velocidade máxima. A Renault aponta que o câmbio de seis velocidades tem relação mais longa para melhor aproveitamento do torque, melhorando o desempenho e reduzindo o consumo. De acordo com a montadora, uma série de detalhes técnicos foram retrabalhados, com o esportivo tendo pistões, bielas, virabrequim e bronzinas reforçados, além de outras
mudanças.

Na parte estética, as mudanças dão um ar mais esportivo ao sedã, com spoiler dianteiro integrado ao para-choque, faróis de neblina, circundados por moldura cromada, e os faróis de xenon. Na traseira, há um discreto aerofólio incorporado à tampa do porta-malas, com as saídas de escapamento sendo cromadas.

A altura da carroceria em relação ao solo do Fluence GT é igual à das demais versões, mas o spoiler reduz a distância entre a carroceria e o chão. Na dianteira, por exemplo, ele é 4 cm mais baixo que as versões Privilége e Dynamique. Com o preço sugerido de R$ 79.370, o Fluence GT é equipado com controles de estabilidade (ESP), tração (ASR), antitravamento (ABS), auxílio de frenagem de urgência (AFU) e distribuição eletrônica de frenagem (EBD). Ele traz ainda seis airbags de série: dois frontais, dois laterais e duplos do tipo de cortina.

O sedã traz ainda sistema de navegação desenvolvida pela TomTom, com tela de 5’’ integrada ao painel e acessível por controle remoto via Bluetooth. O sistema de som, por sua vez, foi desenvolvido com exclusividade pela Arkamys, empresa francesa especializada em customização de som automotivo. O conjunto inclui rádio CD Player MP3 de 140W, duas antenas, quatro alto-falantes e quatro tweeters, conexões USB/iPod, Bluetooth e auxiliar, tudo controlado pelo comando satélite instalado na coluna de direção.

Em termos de conforto, o Fluence GT traz ar-condicionado digital dual zone Os três passageiros do banco traseiro também se beneficiam com as saídas traseiras exclu-sivas do ar-condicionado. Ele é equipado ainda com teto solar elétrico.

Renault Clio

Outra novidade da Renault é o Clio, que aposta na redução e consumo para atrair o público. O motor 1.0 16V foi modificado e agora gera 80 cavalos a 5.570 rpm e 10,5 kgfm de torque (etanol) a 4.250 rotações. Isso deu mais fôlego ao hatch, que conquistou a nota “A” no programa Brasileiro de Etiquetagem do Inmetro Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Batizado de “Hi-Power” – antes era “Hi-Flex” -, o motor atingiu a marca de 9,5 km/l no ciclo urbano e de 10,7 km/l quando abastecido com etanol. No caso de gasolina, as médias são, respectivamente, de 14,3 km/l e 15,8 km/l. Segundo a Renault, 71 componentes do bloco foram modificados para chegar a esses números.

Preços do Renault Clio
Authentique de duas portas: R$ 23.290
Authentique de quatro portas: R$ 24.950
Expression: R$ 29.260

2 Comments

  1. helio

    gostaria de saber se realmente é um bom carro? e qual o consumo médio? e se o seguro é muito mais caro em relação aos outros fluence?

    • edimarciomon

      Bom dia, Hélio!

      Responder se é um bom carro depende do uso que você pretende dar ele, do que procura, do seu perfil. Se busca um veículo com respostas rápidas, a diversão é garantida. O seguro é mais caro por ser calculado sobre o valor do modelo, fica em torno de R$ 2,5 mil e R$ 3 mil em São Paulo.

      O consumo médio é de 8,1 km/l na cidade e de 13,5 km/l de gasolina na rodovia. Porém, é bom lembrar que o consumo depende também do pé do motorista, da forma como ele dirige.

      Obrigado por visitar o blog!

      Equipe Test Rider

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *