Motos de média cilindrada embarcam na onda verde

Honda e Yamaha oferecem modelos de 250cc e 300cc que rodam com gasolina ou etanol

Johnny Inselsperger | Test Rider

Antes da chegada ao mercado das motos que rodam com gasolina, etanol ou os dois juntos, muitos motoboys faziam a conhecida “gambiarra”, trocando o giclê do carburador e abastecendo com etanol. O maior problema ficava por conta da corrosão mais rápida das peças do motor e muitos engasgos em baixas rotações, coisa difícil de ocorrer com motoboys que estão sempre com o cabo do acelerador esticado.

As primeiras motocicletas flex do mundo foram a NXR 150 Bros e a Honda CG 150 Titan Mix, lançadas em 2009. De lá pra cá, as opções cresceram e agora estão chegando até as motos de média cilindrada, entre 250cc e 300cc.

Além dos dois modelos, em 2011 a Honda também passou a oferecer os modelos CG 150 Fan e a Biz 125 bicombustíveis. A Yamaha entrou na disputa de olho na fatia de mercado ainda não explorada e no final de 2012 lançou a Fazer 250 Blueflex, mas continua oferecendo a versão movida à gasolina.

A Honda respondeu e começam a chegar nas concessionárias as primeiras unidades da CB300R e XRE300 bicombustíveis. A Honda encerrou a oferta dos modelos movidos apenas à gasolina.

Fazer

A Yamaha Fazer 250 Blueflex continua com o bom motor de um cilindro com 249cm³, que desenvolve satisfatórios 21 cv a 8.000 rpm.

A Yamaha incluiu no modelo Blueflex o sistema PCV, que utiliza o vapor produzido pelo calor dentro do motor canalizado para o filtro de ar e que retorna para o cárter.

Além disso, o modelo flex teve o mapeamento alterado e mudanças na pressão da bomba de combustível. A Fazer bicombustível tem uma entrada de ar na carenagem lateral e dois filtros de combustíveis.

Segundo o fabricante, o consumo do etanol é cerca de 30% superior ao da gasolina.

Nas ruas e estradas, a Yamaha Fazer Blueflex 2013 mostrou as mesmas qualidades de sempre e as alterações anunciadas durante o lançamento não foram percebidas durante os 12 dias que a moto ficou emprestada para avaliação.

O modelo veio com o tanque cheio e não sabia qual o combustível utilizado. Fiquei atento para perceber alguma mudança de comportamento após encher o tanque com etanol, mas nada. Nem a força do motor mudou com o combustível verde. A Yamaha Fazer 250 Blueflex está disponível nas cores preta e prata.

CB 300R e XRE 300

A CB 300R ganhou novo desenho do defletor, que está integrado ao tanque. Utilizando injeção eletrônica, o motor de um cilindro de 291 cm³ desenvolve potência de 26,5 cavalos a 7.500 rpm com gasolina e pula para 26,7 cv com os mesmos 7.500 rpm utilizando etanol.

A XRE 300 também ganhou novas formas e grafismos o tanque de combustível ficou um litro maior, com 13,4 litros. O motor de um cilindro tem os mesmos 291 cm³ da CB 300R e potência máxima de 26,1 cv a 7.500 rpm e 26,3 cv a 7.500 rpm com etanol.

A CB 300R estará disponível nas cores preta, vermelha metálica e amarela. Já a XRE 300 será encontrada nas cores preta, vermelha metálica e branca.

Hora da decisão

Muitas vezes, o valor da motocicleta é decisivo na hora da escolha do modelo. A Yamaha Fazer 250 Blueflex tem o preço sugerido pelo fabricante de R$ 11.690. Sua concorrente direta, a CB 300R com preço sugerido de R$ 11.990 na versão Standart e R$ 13.690 com os eficientes sistemas de freio C-ABS, que divide a atuação da frenagem entre as rodas e evita o travamento.

Se tem um pouco mais de dinheiro, a XRE 300 2013 tem preço sugerido pela Honda de R$ 13.290 para a versão Standart e R$ 14.990 com C-ABS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *