Mercedes faz mea culpa por falta de versões

A Mercedes-Benz admitiu que foi um erro não ter as versões cupê e conversível da nova versão do E63 AMG lançada em janeiro. De acordo com o responsável pela área de produtos da montadora, Gerd Junginger, “essa decisão é vista hoje como um erro de planejamento. Da próxima vez não cometeremos o mesmo erro”. O projeto de reestilizado do modelo levou sete anos e os clientes terão de esperar a próxima geração para ter a opção dessas variantes. Atualmente, o E63 AMG é vendido apenas nas versões sedã e perua, ambas equipadas com motor V8 biturbo de 5.5 litros, que entrega 557 cv de potência e 72 kgf.m de torque, administrado por um câmbio automático de sete velocidades.

Mercedes-Benz E63 AMG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *