BMW K 1600 GTL tem números que impressionam

BMW K 1600 GTL

Motocicleta tem motor de seis cilindros de 1.649 cm³, 160cv, pesa 348kg e mede 2.498mm

Texto: Johnny Inselsperger | Test Rider
Fotos: Osvaldo Furiatto Jr.

A BMW conseguiu um feito muito difícil nas motocicletas com a K 1600 GLT: unir força, peso e ciclística em uma moto que reúne grandes números no motor, medidas, proporções e preço. Além disso, motos grandes sempre atraem olhares, mas grandes motos exercem uma paixão que muitos chegam a reverenciar o modelo e a K 1600 GTL é um desses casos.

O número de cilindros do motor é o que mais chama a atenção. São seis em linha, com refrigeração líquida, 24 válvulas, que geram poderosos 160 cavalos a 7.750 rpm com desempenho para ultrapassar a casa dos 200 km/h. O torque máximo também é impressionante. São 17.8 kgf.m a 5.250 giros, mas é um propulsor com um funcionamento suave e silencioso. A moto entrega potência de forma linear e não vibra nada, mas, quando acelerada, o motor responde como nos modelos superesportivos.

Olhando a motocicleta, parece um transatlântico graças ao design com uma linha que começa no para-brisa e segue num único fio até o conjunto de malas na traseira, que faz o expectador apreciar o conjunto. A BMW K 1600 GTL pesa 348 kg com óleo e tanque cheio, tem comprimento de 2.498 mm, um metro de largura e 1.465 mm de altura. Além de um tanque com capa-cidade para 26,5 litros. A moto está preparada para rodar com peso máximo total de 560 kg.

Fazendo as contas de um motor muito forte e moto pesada, o resultado seria um modelo complicado para pilotar, ainda mais nas mudanças de direção, curvas e manobras em baixa velocidade. Foi neste ponto que a moto mais impressiona. Além de reunir desempenho e conforto, a ciclística deixa a K 1600 GTL leve e suave durante a entrega de toda força e potência e com facilidade para realizar as manobras, mesmo as que exigem respostas mais rápidas. O baixo centro de gravidade e a boa distribuição do peso geram muita estabilidade.

O conjunto de suspensões também colabora para esse conjunto harmônico. O sistema Duolever na dianteira e Paralever na traseira, com um monobraço de alumínio tem três regulagens para deixar a moto mais confortável ou esportiva.

Para melhorar a segurança, a BMW implantou o módulo de potência Rain para condução na chuva ou piso escorregadio, Road para uma pilotagem intermediária e a Dynamic para entrega total de força e potência. O câmbio é de seis velocidades com engates suaves e precisos e transmissão final por eixo cardã, que dão mais conforto. A embreagem tem ABS (antitravamento), que evita a derrapagem da roda traseira em reduções bruscas de marchas.

Além dos freios ABS, a BMW adotou um sistema que ao utilizar o freio dianteiro, o traseiro também é acionado. Que torna a frenagem mais segura. São dois discos flutuantes de 320 mm e pinças de quatro pistões opostos na dianteira e um disco de 320 mm e pinça de quatro pistões opostos na traseira, sempre eficientes e transmitem segurança em todas as situações.

O assento é grande, confortável tanto para o piloto quanto para o passageiro. Já as duas malas laterais e o baú traseiro proporcionam muito conforto para transportar as bagagens nas viagens. Além disso, o baú traseiro serve de encosto para as costas da garupa. A altura do assento ao solo pode variar de 750 mm a 780 mm.

Na mão esquerda o piloto tem acesso a um controlador multifunção para navegar pelas várias funções, como localização de uma estação de rádio, saber a média de consumo, temperatura ambiente, hodômetros total e parcial, ajustes da suspensão, indicador da pressão dos pneus, entre outros.

E para fechar a reportagem vamos abordar o último grande número dessa moto. A BMW K 1600 GTL tem preço sugerido pelo fabricante de R$ 108.500, uma das motos mais caras do mundo.

ABMW conseguiu um feito muito difícil nas motocicletas com a K 1600 GLT: unir força, peso e ciclística em uma moto que reúne grandes números no motor, medidas, proporções e preço. Além disso, motos grandes sempre atraem olhares, mas grandes motos exercem uma paixão que muitos chegam a reverenciar o modelo e a K 1600 GTL é um desses casos.

O número de cilindros do motor é o que mais chama a atenção. São seis em linha, com refrigeração líquida, 24 válvulas, que geram poderosos 160 cavalos a 7.750 rpm com desempenho para ultrapassar a casa dos 200 km/h. O torque máximo também é impressionante. São 17.8 kgf.m a 5.250 giros, mas é um propulsor com um funcionamento suave e silencioso. A moto entrega potência de forma linear e não vibra nada, mas, quando acelerada, o motor responde como nos modelos superesportivos.

Olhando a motocicleta, parece um transatlântico graças ao design com uma linha que começa no para-brisa e segue num único fio até o conjunto de malas na traseira, que faz o expectador apreciar o conjunto. A BMW K 1600 GTL pesa 348 kg com óleo e tanque cheio, tem comprimento de 2.498 mm, um metro de largura e 1.465 mm de altura. Além de um tanque com capa-cidade para 26,5 litros. A moto está preparada para rodar com peso máximo total de 560 kg.

Fazendo as contas de um motor muito forte e moto pesada, o resultado seria um modelo complicado para pilotar, ainda mais nas mudanças de direção, curvas e manobras em baixa velocidade. Foi neste ponto que a moto mais impressiona. Além de reunir desempenho e conforto, a ciclística deixa a K 1600 GTL leve e suave durante a entrega de toda força e potência e com facilidade para realizar as manobras, mesmo as que exigem respostas mais rápidas. O baixo centro de gravidade e a boa distribuição do peso geram muita estabilidade.

O conjunto de suspensões também colabora para esse conjunto harmônico. O sistema Duolever na dianteira e Paralever na traseira, com um monobraço de alumínio tem três regulagens para deixar a moto mais confortável ou esportiva.

Para melhorar a segurança, a BMW implantou o módulo de potência Rain para condução na chuva ou piso escorregadio, Road para uma pilotagem intermediária e a Dynamic para entrega total de força e potência. O câmbio é de seis velocidades com engates suaves e precisos e transmissão final por eixo cardã, que dão mais conforto. A embreagem tem ABS (antitravamento), que evita a derrapagem da roda traseira em reduções bruscas de marchas.

Além dos freios ABS, a BMW adotou um sistema que ao utilizar o freio dianteiro, o traseiro também é acionado. Que torna a frenagem mais segura. São dois discos flutuantes de 320 mm e pinças de quatro pistões opostos na dianteira e um disco de 320 mm e pinça de quatro pistões opostos na traseira, sempre eficientes e transmitem segurança em todas as situações.

O assento é grande, confortável tanto para o piloto quanto para o passageiro. Já as duas malas laterais e o baú traseiro proporcionam muito conforto para transportar as bagagens nas viagens. Além disso, o baú traseiro serve de encosto para as costas da garupa. A altura do assento ao solo pode variar de 750 mm a 780 mm.

Na mão esquerda o piloto tem acesso a um controlador multifunção para navegar pelas várias funções, como localização de uma estação de rádio, saber a média de consumo, temperatura ambiente, hodômetros total e parcial, ajustes da suspensão, indicador da pressão dos pneus, entre outros.

E para fechar a reportagem vamos abordar o último grande número dessa moto. A BMW K 1600 GTL tem preço sugerido pelo fabricante de R$ 108.500, uma das motos mais caras do mundo.

Outros mimos
– Piloto automático para controle da velocidade
– Acelerador eletrônico suave e preciso
– Manetes e assento do piloto e garupa aquecidos
– Regulagem eletrônica do para-brisa
– Sistema de rádio AM/FM, entrada USB e Bluetooth
– Tomada 12V
– Faróis de neblina em LED
– O farol direciona o faixo de luz de xenon nas curvas
– Cavalete central

Ponto forte
Além de você ficar mais bonito em cima da moto. O modelo reúne os confortos dos modelos estradeiras com respostas de uma moto superesportiva. É capaz de ir de 0 a 100km/h em apenas 3,4 segundos. Tudo com muito conforto e segurança

Ponto fraco
Rodar na cidade é um legítimo exercício da habilidades sobre duas rodas. Apesar de toda boa ciclística, as dimensões são semelhantes a de alguns carros. Por isso, o piloto pode acabar preso em congestionamentos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *