Galeria Triumph Street Triple 675 é diversão garantida

Modelo inglês montado em Manaus tem motor de três cilindros com força de sobra em todas as rotações e preço atraente

 

 

Johnny Inselsperger/Test Rider
Fotos: Osvaldo Furiatto Jr./Test Rider

A Triumph começou a montar neste ano no Brasil, o modelo 2013 da Street Triple 675, que passou por uma reestilização no final do ano passado e começou a ser comercializada no País em junho deste ano através da rede de concessionárias próprias da marca inglesa.

As primeiras impressões durante o lançamento da Street Triple 675, em maio, no autódromo Velo Città, já haviam sido muito positivas e todas as características que chamaram a atenção na pista de Mogi Guaçu, também foram eficientes fora dela.

Durante seis dias foram percorridos 691 quilômetros entre ruas, avenidas e estradas e a principal característica é o equilíbrio do motor de 675cc, com três cilindros e refrigeração líquida que entrega força desde as baixas e médias rotações. Além disso, a moto é leve, pesa 183 kg e tem massa centralizada.

As mudanças de direção são rápidas, precisas e seguras. Além disso, o ângulo de esterço aumentou para facilitar as manobras em baixas velocidades.

A Street Triple ainda é a naked mais curta no mercado brasileiro (2.055 mm de comprimento), estreita (740mm de largura) e o menor entreeixos (1.410mm) frente as suas concorrentes diretas Honda Hornet, Yamaha XJ-6N de 4 cilindros e as bicilíndricas Kawasaki ER-6N e Suzuki Gladius.

Para completar, um novo chassi mais leve de alumínio com viga dupla está ligado a um subquadro com duas peças na parte de trás, que dão harmonia e dinamismo ao conjunto. Um novo escapamento também contribui para melhorar o centro de gravidade do modelo.

Se por um lado o motor de três cilindros garante a força em baixas e médias rotações, na estrada, a força dos 85 cavalos de potência a 11.200 giros leva a Street Triple a altas velocidades em poucos segundos.

Sem vibração, o funcionamento do motor é silencioso, mas quando o giro sobe, o ronco engrossa semelhante aos quadricilíndricos.

Uma carenagem faz falta, mas a anatomia do assento ‘encaixa’ o piloto na hora de inclinar o corpo mais próximo ao tanque para reduzir a resistência do ar. As pedaleiras bem posicionadas deixam as pernas pouco flexionadas e bem juntas ao tanque, que tem a capacidade para apenas 17,4 litros e com 200 quilômetros já acende a luz de alerta no painel. A posição do corpo não é muito inclinada e o assento é confortável, ficando a apenas 800mm do solo. Tenho 1,75m e fiquei com os dois pés bem plantados no chão.

A Street Triple é um modelo bem atraente para os motociclistas que pensam em subir de categoria. A moto tem uma entrega suave e linear de potência que facilita a vida dos pilotos menos experientes. O câmbio de seis velocidades tem trocas firmes que chamam para uma direção mais esportiva. No painel é possível ver a marcha que está engatada. A embreagem é leve e a transmissão final é por corrente.

O sistema de freios é outro ponto forte da Triumph Street Triple 675. Todos os modelos montados na unidade de Manaus (AM) saem com ABS, que pode ser regulado para as diferentes utilizações da moto. Mesmo em ruas com oscilações no asfalto ou de paralelepípedo, a manete e o pedal dos freios dianteiro e traseiro seguram firme nos acionamentos mais bruscos. Na dianteira tem duplos discos de 310 mm, com pinças deslizantes de dois pistões da marca Nissin. O disco traseiro tem diâmetro de 220mm com pistão único da marca Brembo e funciona bem para iniciar a frenagem evitando que os corpos da garupa e piloto sejam forçados para frente na hora em que o freio dianteiro entra em ação.

A suspensão invertida na dianteira tem 110mm de curso e poderia ter regulagens. Na traseira é monoamortecida, com regulagens que garantem boa parte do conforto de piloto e garupa.

A média de consumo de combustível da Street Triple não varia muito de suas concorrentes com motor de 600 ou 650 cm³. Em uso misto de cidade e estrada, as médias foram: 16,22, 17,71, 18,72 e 17,55km/l. Lembrando que a média de consumo varia conforme a região e principalmente a dosagem de aceleração de cada piloto.

Design

O design é atraente e diferenciado. As linhas agressivas acentuam a esportividade. Os duplos faróis angulados diferenciam o modelo da marca inglesa e funcionam como uma espécie de RG da Street Triple 675.

As rodas de 17 polegadas são de liga de alumínio com cinco pontas. Os espelhos retrovisores têm desenho esportivo e funcionam muito bem e o piloto enxerga além dos cotovelos.

No painel tem o conta-giros analógico com o shift-ligth integrado com cinco leds azuis que acendem conforme o giro do motor vai subindo. Tem ainda uma tela de LCD com velocímetro digital, contador de voltas, hodômetros total, parcial, média de consumo, horário e indicador da pressão dos pneus.

E é no preço que a Triumph tem mais um atrativo para conquistar novos clientes. A Street Triple 675 tem preço sugerido de R$ 31.900 nas cores Preto Phantom, Branco Crystal e Azul Caribbean, todos com ABS.

DICA DO GARUPA – Se for colocar garupa, melhor que seja casal ou filhos. Caso contrário, é para garupa equilibrista, pois não existem alças para o passageiro se segurar na Triumph Street Triple 675. A suspensão traseira tem regulagem e funciona bem. Pneus largos também ajudam no conforto. O assento não é grande coisa, mas fizemos uma viagem de 200 quilômetros sem parada pelas rodovias Imigrantes e Bandeirantes e só as pernas reclamaram um pouco. Nota 6

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *