Galeria BMW S 1000 RR deixa tudo mais fácil

Alta tecnologia e excelente ciclística da superesportiva alemã ajuda muito o piloto no controle dos 193 cavalos de potência do motor tetracilindrico de 1000 cm³

 

Texto: Johnny Inselsperger/Test Rider
Fotos: Osvaldo Furiatto Jr./Test Rider

Motos superesportivas têm motores preparados para atingir altas velocidades, por isso, geralmente ‘reclamam’ com engasgos e solavancos, quando é preciso rodar em baixas velocidades. E foi essa a principal característica que chamou a atenção durante a avaliação da superesportiva BMW S 1000 RR.

O arsenal tecnológico permite extrair o máximo da sua performance com segurança em poucos segundos, mas também rodar em baixas velocidades com um funcionamento suave e retilíneo, mesmo em marchas mais altas.

Isso facilita a tarefa de conduzir a S 1000RR entre os carros no trânsito urbano, além de permitir acertar a moto para os diferentes tipos de piso e das habilidades de cada piloto. Desde 2012, o modelo ganhou nova curva de torque tornando a entrega de força mais linear e harmoniosa desde as baixas e médias rotações, além de novo mapeamento do motor e o acelerador mais sensível à resposta.

Equipada com motor com quatro cilindros em linha de 999cc, a S 1000RR alcança 193 cavalos de potência a 13.000 rpm e o torque máximo de 11,42 kgf.m já a 9.750 rpm. O gerenciador central faz toda comunicação entre o controle de potência, tração e o ABS.

No modo Rain, a entrega de potência está limitada em apenas 163 cavalos, o ABS dos freios fica mais sensível ao acionamento e o controle de tração entra em ação com menor ângulo de inclinação da moto. É ideal para conhecer as características da moto, pilotos iniciantes, chuva, pista escorregadia e mesmo em passeios por estradas sinuosas para pilotos menos experientes.

Um ponto acima, a moto entra no módulo Sport com a entrega de toda potência dos 193 cavalos, mas com bastante interferência do ABS e o controle de tração. Já no módulo Race torna a viagem bem esportiva, onde o ABS tem o acionamento retardado e permite grandes inclinações.

Para as pistas ainda existe a opção Slick, que exige pneus de competição e praticamente ‘desliga’ todo aparato eletrônico.

Estrada

Os 453 quilômetros durante a avaliação foram percorridos meio a meio entre cidade e estradas e a BMW S 1000RR sempre se mostrou uma moto segura, que adora longas retas, mas também é muito competente em trechos sinuosos. As respostas são rápidas aos comandos do guidão e o amortecedor de direção tem dez níveis que passam segurança.

O câmbio de 6 velocidades tem a troca de marcha assistida (Shift Assist), que permite a redução das marchas de forma macia e rápida sem a necessidade de acionar a embreagem ou mexer no acelerador. Isso reflete em saídas de curva com um maior giro do motor e uma impressionante entrega de torque.

Cidade

A maior surpresa foi a facilidade de rodar com a superesportiva – de 202 quilos com óleo e tanque cheio – entre os carros. Ajustando controle de potência, a entrega fica suave e linear, essencial para ‘domar’ a superesportiva no trânsito lento. Ajustando o controle de tração, tem melhores saídas de curvas em esquinas sujas ou molhadas e até mesmo o destracionamento causado pelas imperfeições das ruas e avenidas.

Já o conjunto ciclístico fecha o pacote dando o equilíbrio necessário para ‘espremer’ a moto no corredor entre os carros parados. A posição do piloto é boa e tem espaço suficiente para se ajeitar e conduzir em posições mais agressivas com o peito colado no tanque ou relaxado com as pernas menos flexionadas e os braços bem posicionados graças ao duplo guidão que não fica tão baixo.

No semáforo, o motor esquenta as pernas, mas também é exigir demais quando se coloca a moto completamente fora do seu ‘habitat’ natural, as pistas.

A suspensão é firme, mas não é desconfortável. Além disso, tem vários ajustes. Na dianteira tem curso de 120mm e 130 na traseira, que utiliza monoamortecimento.

O painel tem uma infinidade de informações, entre eles o importante indicador de marcha e pode ser programado para uso nas ruas ou na hora de colocar nas pistas.

A BMW S 1000 RR está disponível nas cores vermelha, cinza e preta com preço sugerido pelo fabricante de R$ 72.300 e a tricolor branca, azul e vermelha por R$ 74.800.

Ponto positivo – A emoção ao dar partida e ouvir o ronco encorpado, garantia de muita adrenalina com segurança.

Ponto negativo – Vamos relevar que estamos tratando de um modelo superesportivo, mas o pouco esterço sempre dificulta as manobras de estacionamento.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *