Galeria Kawasaki Z800: competência para superar sua antecessora

Devoradora de asfalto: mais que o aumento no tamanho do motor em relação à extinta Z750, nova Street Fighter ganhou força nas baixas e médias rotações e um design com linhas agressivas

Texto:Johnny Inselsperger/Test Rider
Fotos: Osvaldo Furiatto Jr./Test Rider

A Kawasaki aprimorou um produto que já fazia sucesso. Além do design com linhas mais agressivas, a nova Street Fighter Z800 está melhor para conduzir no trânsito em relação a sua antecessora, a Z750, que teve a produção interrompida.

A Z800 é uma devoradora de asfalto. Mais do que elevar sua cavalaria ou força, a naked montada no Brasil está mais fácil para ser domada no trânsito graças ao aumento na força do motor em baixas e médias rotações. Enquanto a Z800 tem torque máximo de 8,5 kgm.f com apenas 8.000 rpm, sua antecessora chegava ao torque máximo de 8,0 kgm.f na casa mais elevada dos 8.300 rpm.

Mas não pense que por causa disso a novidade da Kawasaki está mais fraca na estrada. Pelo contrário, enquanto a Z750 entregava potência máxima de 106cv a 10.500 rpm. Com apenas 10.200 rpm a Z800 chega na casa dos 113cv. Isso representa uma velocidade final maior em menor tempo.

Mas, seja na cidade ou estrada, a nova Street Fighter está melhor para executar as manobras em baixas ou altas velocidades. Mesmo com pouco esterço do guidão, a Z800 é equilibrada e com o peso (229kg ou 231 com ABS com tanque cheio) bem distribuído.

A suspensão tem regulagens da mola de pré-carga na dianteira e traseira e devem mesmo ser ajustados, já que uma configuração mais esportiva para estrada pode castigar bastante do piloto e garupa no trânsito urbano por causa das imperfeições e buracos. Na dianteira o garfo invertido tem 41mm e curso total de 120mm. Na traseira o monoamortecimento é a gás e possibilita sete níveis de ajustes.

O entreeixos da Z800 ganhou 5mm e passou de 1.440mm da Z750 para 1.445mm da atual. A distância do solo reduziu de 155mm para 150mm da nova naked. Ambos melhoram a  estabilidade em estradas com retas mais longas, mesmo assim, a naked da Kawasaki mostra muita agilidade e transmite segurança nas entradas e saídas de curvas por estradas sinuosas.

O assento ficou um pouco mais alto e a distância do solo é de 834mm. A espuma é rígida e recoberto com estampa que reforça a esportividade da família naked ‘Z’, da Kawasaki. A luz de led da lanterna traseira também forma duas letras ‘Z’.

Aliás, o design da Z800 já é um convite para perder o juízo. Linhas agressivas que diminuem o atrito com o vento convidam para ouvir o som poderoso dos giros mais altos do motor de quatro cilindros em linha, com refrigeração líquida.

O escapamento ganhou linhas mais agressivas e emite um som grave em baixas e médias rotações e um urro poderoso em giros mais elevados que chegam aos 14.000 rpm.

O câmbio de seis velocidades tem trocas justas e rápidas. O escalonamento é o mesmo da Z750 com marchas mais curtas nas primeiras e longas nas mais elevadas.

Durante os 621 km percorridos nos 11 dias de avaliação, a melhor média de consumo foi de 19,04km/l e a pior de 16,8km/l. É importante reforçar esses números foram obtidos em percursos variados entre cidade e estrada e podem alterar muito dependendo de vários fatores, principalmente pela forma como cada um conduz a motocicleta. O tanque da Z800 é 1,5 litros menor em relação a sua antecessora, com capacidade para 17 litros. Eles permitem percorrer cerca de 300 quilômetros com um tanque cheio.

Visual

Para mostrar que é uma moto realmente nova, a Z800 ganhou um conjunto ótico que reforça a esportividade. Aletas maiores no radiador e um spoiler abaixo do motor deixam o novo modelo da Kawasaki mais ‘musculoso’ e com dimensões maiores. Na traseira ocorreu o inverso e ficou mais fina e leve. O conjunto reforça a proposta streetfighter.

Freios

Se tem mais força e potência, a Z800 também merece um sistema de freios mais eficiente. Os discos duplos dianteiros estão 10mm maiores que sua antecessora com 310mm em formato margarida, enquanto na Z750 era em forma de pétala.

Mais importante que isso, a Z800 tem pinça dupla oposta com quatro pistões. Na Z750 eram 300mm com pinça e pistões duplos.

O modelo avaliado estava equipado com o sistema ABS e foi seguro eficiente em todos os tipos de pisos, com respostas rápidas e eficientes.

A Kawasaki Z800 está disponível nas cores verde, branca e preta e tem preço sugerido pelo fabricante de R$ 35.990 e R$ 38.990 com ABS.

Ponto positivo: está mais dócil para pilotar na cidade com entrega de força e potência lineares e suaves.

Ponto negativo: um ângulo de esterço maior do guidão deixaria a pilotagem ainda mais agradável na cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *