Ducati 1199 Superleggera chega como a moto mais cara do Brasil: R$ 275 mil

O Brasil receberá pelo menos duas unidades da Ducati 1199 Superleggera, uma edição limitada a 500 unidades em todo o mundo. A primeira foi entregue na última sexta-feira (11) na concessionária Ducati 1199 Superleggera 2014 028 destaqueda marca em Ribeirão Preto (SP), conquistando o título de moto mais cara do País, e uma segunda unidade já foi encomendada. A Superleggera tem o preço no mercado nacional de R$ 275 mil.

Ela fez sua estreia no Salão de Milão 2013, na Itália, onde foi apresentada como “autêntico desempenho italiano”. A explicação para o título dado pela Ducati é que Superleggera tem uma relação peso/potência de apenas 0,775 gramas/cavalo, a melhor para uma motocicleta fabricada em série. Com peso seco de 155 quilos, a força vem de um motor bicilíndrico de 1.198 cc de 200 cavalos de potência a 11.500 rpm, com torque de 13,7 kgf. m a 10.200 rotações. É o mesmo da Panigale, mas retrabalhado para entregar mais torque e o desempenho é melhorado devido a redução de peso e uso de tecnologias de motos de competição, como o Mundial de Superbike.

Sangue quente

A redução do peso foi obtida através do uso de titânio, fibra de carbono e magnésio para a produção de várias peças da Superleggera. O chassi monobloco é de magnésio e o subquadro Ducati 1199 Superleggera 2014 026 destaquetraseiro de fibra de carbono, com a carenagem sendo de carbono. A suspensão usa molas de titânio Öhlins TTX36. Para ajudar a reduzir o peso, a bateria convencional foi substituída por uma de íons de lítios, enquanto o sistema de escape é feito de titânio.

O sistema de freios é da Brembo, com disco de 330 milímetros. Um detalhe interessante na edição limitada é que a distância entreeixos é regulável, com o piloto podendo fazer o ajuste através de uma alavanca.  O motor da versão especial tem como base o Superquadro da Panigale 1199 R, mas as válvulas de admissão foram trocadas, as bielas são de titânio e, pela primeira vez, uma Ducati de rua tem pistões que trabalham em dois níveis. Essa era uma exclusividade dos modelos de competição.

Mudanças

O motor também tem mudanças na câmara de combustão e novo desenho de coroa e pistão, o que permite o aumento significativo da taxa de compressão para 13,2:1. O virabrequim foi equilibrado através das almofadas colocadas sobre os contrapesos de tungstênio. Também há um novo filtro de ar fornecido pela Sprint Filter.

Mas essa configuração é válida para o modelo rua. Há como opcional um kit de corrida, que eleva a potência para 205 cv e o peso é reduzido em mais 2,5 quilos. Além disso, o sistema de escape é da Ducati 1199 Superleggera 2014 022 destaqueAkrapovic com silenciador de titânio. Porém, esse pacote somente pode ser usado em pistas fechadas.

Tecnologia

O avançado sistema eletrônico da Superleggera traz o novo Ducati Wheelie Control (DWC), que evita que a roda dianteira saia do chão perigosamente. O Controle de Tração Ducati (DTC), o DWC e o sistema Engine Brake Control (EBC), de controle do freio motor, são otimizados pelo sistema de calibração automática, que leva em conta o tamanho dos pneus e relação de transmissão final. O acesso aos controles é feito por um conjunto de botões montado no guidão, uma tecnologia que também vem das pistas de corrida, o que permite a regulagem com a moto rodando.

Cada unidade tem da edição especial um número de identificação. A moto mais radical já feita pela Ducati mexeu com o coração dos ducatistis, como são chamados os fãs da marca. Quando a Superleggera foi apresentada oficialmente em outubro de 2013, 375 unidades já haviam sido encomendadas por um seleto grupo de clientes convidado para uma pré-apresentação.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *