Galeria Ducati Multistrada 1200 S Touring aguça todos os sentidos

 

Modelo da fabricante italiana roda bem e com conforto em todos os tipos de pista

Texto: Johnny Inselsperger
Fotos: Osvaldo Furiatto Jr.

Respeitada por sua vocação para as pistas de motovelocidade, a Ducati conseguiu com a Multistrada 1200 mostrar competência com um modelo Touring, que oferece força, potência, segurança e conforto, principalmente nas estradas asfaltadas e até mesmo em track days nos autódromos.

O design italiano recebe cuidados até nos mínimos detalhes. A balança traseira monobraço deixa um lado da bela roda exposto. Na frente, longas bengalas, grandes entradas de ar e o conjunto ótico passam a imagem de imponência. O acabamento é primoroso. Essa mesma sensação é passada ao dar partida e ouvir o ronco ‘nervoso’ do motor Testastretta 11°, 2 cilindros em L, 4 válvulas por cilindro, Desmodrômico, Dual Spark, refrigerado a água com 1.198.4cc herdado da superesportiva 1198 capaz de atingir a potência máxima de 150cv a 9.250rpm e torque máximo 12,7kgf.m a 7.500rpm. É pilotar uma esportiva desfrutando do conforto de uma maxitrail.

Com tanta força e potência, a Multistrada 1200 S Touring, utilizada durante a avaliação, vem equipada com uma parafernália eletrônica capaz de deixar a moto adequada para enfrentar variados tipos de pista e condições climáticas. São três opções que regulam as suspensões dianteira e traseira eletronicamente, a entrega de potência e a interferência no controle de tração e o nível de atuação dos freios ABS. O módulo Sport deixa a moto ‘animal’ com entrega bruta dos 150 cv, o Touring tem a entrega dos 150 cv mais linear e o Urban ou Enduro, com potência máxima limitada em 100cv, mas com comportamentos diferentes. O melhor é começar devagar para conhecer a moto, afinal, o acelerador eletrônico tem respostas precisas e um erro pode ser perigoso. Para quem é apaixonado por detalhes, cada recurso eletrônico ainda pode ser regulado individualmente, possibilitando mais de 200 combinações.

As estradas sinuosas são seu habitat natural. Assentos confortáveis para piloto e garupa e um tanque com 20 litros de capacidade que rendem uma autonomia média acima dos 300km. Aros com 17’ são adequados para o asfalto com respostas precisas. Suspensões Marzocchi na dianteira com garfo telescópico invertido e na traseira, Sachs monoamortecida que deixam a Ducati Multistrada 1200 S Touring preparada para o piloto raspar as saboneteiras no asfalto. Os freios Brembo tem 320mm na dianteira com pinças radiais e os tubos com revestimento de malha de aço, que respondem bem mesmo depois de muito tempo de uso severo. O resultado é um conjunto estável em que o piloto nem sente os 224 quilos com tanque cheio.

No asfalto a história muda e mesmo com todos ajustes, exige habilidade e experiência para aventuras off-road. Já na cidade, mesmo no modo Urban, a Multistrada 1200 S Touring pede para rodar com motor cheio e várias trocas no câmbio com 6 velocidades para manter o giro do motor alto.

A Multistrada tem ainda um para-brisa com regulagens feitas apenas com as mãos, chave presencial e faróis e lanternas com excelente iluminação com LEDs. O painel é completo, inclusive com computador de bordo.

O modelo utilizado durante a avaliação é o Ducati Multistrada S Touring, que sai por R$ 71.900. Tem ainda o modelo standart por R$ 59.900 e a top Multistrada 1200 S Pikes Park por 81.900.

Agradecimento a Ducati Campinas que cedeu a moto para a reportagem

Ponto positivo – o desempenho de uma moto esportiva com o conforto de uma maxitrail

Ponto negativo – Com sua característica esportividade, a Multistrada 1200 S Touring reclama com ‘engasgos’ para rodar em baixas rotações e as setas instaladas nos retrovisores são bonitas, mas um perigo na hora de passar entre os carros, pois ficam na mesma altura que a maioria dos retrovisores dos veículos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *