Kawasaki Z1000 2015: mais forte e agressiva

TRANSFORMER

Texto: Johnny Inselsperger
Fotos:Osvaldo Furiatto Jr.

A Kawasaki conseguiu melhorar o que já era bom com a nova Z1000 2015, que além do visual mais musculoso de uma predadora, ganhou em torque nas baixas e médias rotações, que permite arrancadas suaves e um maior controle da moto, principalmente no trânsito urbano. Isso sem perder nada dos poderosos 142 cavalos de potência máxima, capaz de levar a streetfighter do zero aos 100/km/h em pouco mais de 3 segundo e meio, onde o piloto tem a sensação de ser arrancado da moto, mesmo em retomadas de velocidade.

A nova Z1000 2015 marca presença e impõe respeito. Boa parte é responsabilidade do conjunto ótico de ‘dar medo’, que utiliza quatro faróis de LED, sendo os dois próximos para luz baixa e os externos para o farol alto. Tem ainda um filete com luzes de LED na carenagem que cobre o painel. A sensação é de observar um animal pronto para dar o bote.

Nada de controle de tração ou potência, mas o modelo avaliado vem equipado com sistema eficiente de freio com ABS, que faz toda diferença na hora de parar essa máquina, que precisa de bem pouco asfalto para passar dos 200km/h.

Com grandes formas a Kawasaki Z 1000 2015 tem um pequeno, mas eficiente painel onde a rotação do motor até 3.000rpm fica em um barra digital na lateral esquerda e dos 4.000 até os 11.000rpm muda para uma vistosa barra com luzes no alto do painel. Faltou um indicador de marchas.

A posição do piloto está mais esportiva que o modelo anterior, onde o corpo fica mais projetado para frente, já que o guidão está mais avançado. A altura do assento dá pé para a maioria dos motociclistas e fica a 81 centímetros do chão. Com novo desenho, o tanque está mais estreito perto do banco, o que facilita na hora de alcançar os pés no chão. Por falar em tanque, sua capacidade aumentou de 15 para 17 litros. Um grande escapamento de cada lado completa o visual de uma moto encorpada, que pesa apenas 221 quilos com tanque cheio.

A traseira é similar a superesportiva ZX-10R, que ajuda na centralização de massas e consequentemente na ciclística da moto. Pequeno mesmo só o assento da garupa e a parte de trás, nem por isso o passageiro padece muito. Para a proposta da Z 1000 2015, dá para falar que a garupa até que tem um bom conforto, onde as pernas não ficam muito dobradas e o corpo pouco inclinado para frente.

A suspensão dianteira Showa tem funções de ajustes separadas. Na bengala esquerda tem o acerto para pré-carga e na direita a compressão, que devem ser utilizados para proporcionar mais conforto no trânsito e esportividade na estrada.

Como é uma moto com o DNA Kawasaki, prioriza a esportividade. Por outro lado, o sistema de admissão do ar produz um novo ronco do motor em alta velocidade que parece uma trilha sonora que proporciona muito prazer durante as acelerações e isso compensa qualquer eventual falta de conforto.

O novo mapeamento da injeção eletrônica aumentou o torque em todas rotações e não só mais nas altas. Se analisando os números a mudança é quase imperceptível, já que o torque máximo está em 11,3kgf.m a 7.300 rpm, contra os 11,2kgf.m a 7.800 rpm da sua antecessora. A potência máxima saltou dos 138cv para 142cv a 10.000rpm e a sexta marcha está com a relação mais longa.

O motor tetracilíndrico de 1043 cc teve alterações e até a interligação dos tubos ovais nas saídas do quatro escapamentos na conformação 4X2X2 melhoram as respostas ao acelerador. As alterações também buscam melhorar ainda mais o torque nas baixas e médias rotações.

A Z1000 2015 tem preço sugerido de R$48.990 para versão standart e R$ 51.990 com ABS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *